Zanette busca vitórias na abertura do Brasileiro de Motos Aquáticas em MG

Catarinense acelera a moto aquática Sea-Doo RXP-X 2015 de olho nos títulos inéditos das categorias Runabout Turbo GP e Runabout Turbo Limited.
Fonte: Mundo Press

Ibanez Zanette acelera o Sea-Doo RXP-X 260 2015 de olho em títulos inéditos no Campeonato Brasileiro de Jet Ski

Ibanez Zanette acelera o Sea-Doo RXP-X 260 2015 de olho em títulos inéditos no Campeonato Brasileiro de Jet Ski

Ibanez Zanette disputa a abertura do Campeonato Brasileiro de Motos Aquáticas neste final de semana, na represa de Furnas, em Boa Esperança, região sul de Minas Gerais. O catarinense de Criciúma acelera o Sea-Doo RXP-X 260 2015 de olho nos títulos inéditos das classes Runabout Turbo Limited e Runabout Turbo GP, que reúne a elite da modalidade. O Campeonato Brasileiro ainda coloca em jogo vagas para o Campeonato Mundial da modalidade, de 3 a 11 de outubro, em Lake Havasu, Arizona, Estados Unidos.

No ano passado, Zanette foi vice-campeão nacional das categorias Runabout Turbo Stock e Super Course Turbo Stock. Ele ainda conquistou dois títulos sul-americanos em 2014, nas classes F2 e Turbo GP. “O início da temporada sempre traz bastante ansiedade, ainda mais porque não há como saber como foi a preparação dos concorrentes. Mas uma coisa é certa, o nível do Brasileiro aumenta a cada ano e com isso a disputa está sempre mais difícil e acirrada”, comentou o piloto.

Ele está confiante em acelerar nas tradicionais águas mineiras. “Boa Esperança é a capital brasileira das motos aquáticas. O público de lá chega a 10 mil pessoas, o que é muito motivante para nós. Para vencer, será muito importante estar preparado e acertar o equipamento, pois a altitude e as condições da água podem atrapalhar”, acrescentou Zanette.

Sobre o Sea-Doo RXP-X 260, ele só tem elogios. “O equipamento é simplesmente fantástico, proporciona muita segurança e estabilidade ao piloto. Não é à toa que o RXP-X é a moto aquática que possui mais títulos mundo afora. Desta forma, a Sea-Doo consegue levar ao consumidor final um produto que é campeão nas raias e proporciona pilotagem e emoção sem igual”, concluiu.

Deninho Casarini em recuperação – O tricampeão mundial de motos aquáticas Deninho Casarini está em recuperação e não poderá competir na abertura do Brasileiro. Ele trincou o osso do punho esquerdo durante a disputa do Rally dos Sertões 2015, na semana passada, quando correu na categoria para UTVs a bordo do Can-Am Maverick Xds Turbo. “Eu me machuquei e não posso fazer esforço nas próximas semanas. Vou seguir em tratamento para acelerar na segunda etapa do Brasileiro de Motos Aquáticas (ainda sem data definida)”, antecipou o piloto.

Publicado em BRP Sea-Doo, Sea-Doo jet Com a tag , , , |

Catarinense vai em busca do título do Campeonato Brasileiro de Jet Ski

Ibanez Zanette se prepara para estrear na “Fórmula 1″ do Jet Ski este fim de semana.
Fonte: Diário Catarinense

Zanete busca título a bordo do Sea-Doo RXP-X 260, a moto aquática de desempenho da Sea-Doo.

Zanete busca título a bordo do Sea-Doo RXP-X 260, a moto aquática de desempenho da Sea-Doo.

O que para muita gente é lazer nos dias de verão, o criciumense Ibanez Zanette leva a sério. Jet Ski para ele é sinônimo de competição. Neste fim de semana, o piloto estreia no 28º Campeonato Brasileiro de Jet Ski, em Boa Esperança (MG).

Em 2014, Zanette foi vice-campeão nacional, com sua moto aquática Sea-Doo, nas categorias Runabout Turbo Stock e Super Course Turbo Stock. Desta vez ele quer ir além e encerrar a temporada como campeão “Este ano o calendário está um pouco atrasado, mas estou bem preparado para a estreia no Brasileiro, com um novo equipamento e competindo em novas categorias.” — conta o piloto de Criciúma.

A nova moto aquática de Zanette é um modelo Sea-Doo RXPX 260, com a qual concorrerá nas categorias Runabout Turbo Limited e Runabout Turbo GP, considerada a Fórmula 1 do jet ski.

Ele brigará pelo título com adversários de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Goiás, Paraná, Bahia, Pernambuco e Distrito Federal, além de convidados do Paraguai, Uruguai e Bolívia.

Publicado em BRP Sea-Doo, Sea-Doo jet Com a tag , , , , , , |

Ibanez Zanette em contagem regressiva para o início das competições

A bordo da moto aquática Sea-Doo RXP-X 2015, catarinense cumpre preparação final para a abertura do Campeonato Brasileiro em agosto.
Fonte: Mundo Press

Ibanez Zanette com RXP-X 2015. Crédito: Divulgação

Ibanez Zanette com RXP-X 2015. Crédito: Divulgação

Ibanez Zanette está em contagem regressiva para o início das competições para motos aquáticas na temporada 2015. A bordo do Sea-Doo RXP-X, o catarinense de Criciúma cumpre a preparação final para a abertura do Campeonato Brasileiro, marcada para os dias 15 e 16 de agosto em Boa Esperança, Minas Gerais. Ele acelera por vitórias nas categorias Runabout Turbo Limited e Runabout Turbo GP, que reúne a elite da modalidade.

Zanette conquistou dois títulos sul-americanos no ano passado (classes F2 e Turbo GP) e quer continuar em destaque. “Além do Brasileiro, pretendo competir no Sul-Americano e buscar a classificação para o Campeonato Mundial de Lake Havasu, Arizona, nos Estados Unidos, em outubro”, adiantou o piloto. Ele conta com a potência e tecnologia da moto aquática Sea-Doo RXP-X 2015.

“Fiz os primeiros testes com o suporte da equipe da R&R Náutica (concessionária dos produtos BRP em São José do Rio Preto-SP). O Sea-Doo RXP-X continua incrível, sem dúvidas é o melhor equipamento. O casco traz ao piloto segurança e estabilidade sem igual, isso sem citar a mecânica e a tecnologia do produto. Por tudo isso a moto aquática é a mais vitoriosa e conquista títulos pelo mundo todo”, continuou Zanette.

As providências para o início do Brasileiro incluem trabalho intensivo dentro e fora da água. “Mantive a preparação física na academia e neste último mês intensifiquei as atividades na água. O início da temporada sempre traz bastante ansiedade, pois não sabemos como os concorrentes estão, mas de qualquer forma o nível do Brasileiro aumenta a cada ano. Espero disputas difíceis e bastante acirradas”, concluiu o piloto.

Publicado em BRP Sea-Doo, Sea-Doo jet Com a tag , , |

Dicas de cuidados com o jet ski após o uso

A Sea-Doo aconselha seus clientes a dedicarem de 10 a 15 minutos para cuidados básicos com seus jet skis após o uso, seja o equipamento usado em água doce ou salgada. Assim, as motos aquáticas duram mais e têm melhor desempenho.
Fonte: Bombarco

GTX-S 155. Crédito: Divulgação

GTX-S 155. Crédito: Divulgação

Confira as dicas de cuidados pós-uso:

1 – Após tirar todos os seus pertences dos espaços de armazenamento do jet ski, misture um pouco de detergente neutro e água e lave a parte externa da moto aquática para retirar sal, lama ou qualquer outro detrito.

Tenha o cuidado de lavar todos os vincos e fendas e cheque embaixo do jet ski para ter certeza que nenhum detrito ficou na entrada de água do jet.

2 – Enxague a moto aquática usando uma mangueira, Evite usar mangueiras de alta pressão, pois elas podem danificar componentes eletrônicos e detalhes do jet ski.

Se você navega em água salgada ou suja, deve também lavar a parte interna da moto aquática com água doce (limpa). A Sea-Doo novamente aconselha os proprietários a não usar mangueiras de alta pressão para evitar danos elétricos ou mecânicos no compartimento do motor.

Lembre-se de retirar os bujões de drenagem para que toda a água escoe para fora do jet ski. E levantar a carreta de transporte do equipamento ajuda a água a sair mais rápido.

O sistema de escape pode ser aberto e deve ser lavado com água limpa, para retirar sal e outros detritos do escapamento.

3 – Conecte a mangueira aos conectores para lavagem que ficam ao lado do bocal do jet ski – é possível usar um adaptador para facilitar o processo. E dê partida no jet antes de abrir a torneira, para evitar que a água entre no motor e cause danos. Deixe o motor funcionar em marcha lenta até que a água saia pela bomba por 15 a 20 segundos.

Desligue a torneira e deixe o motor funcionar a 5.000 RPM por cinco segundos. Desligue o motor e desconecte a mangueira.

4 – Antes de guardar seu jet ski, seque o excesso de água e borrife as partes metálicas, componentes elétricos no compartimento do motor e partes expostos do sistema de bombeamento com um spray lubrificante que dispersa água para proteção extra contra corrosão.

5 – Como nos motores de barcos, não se deve deixar combustível velho no motor do jet ski, pois ele é nocivo. Por isso, a Sea-Doo aconselha os proprietários de suas motos aquáticas que pretendem deixar o equipamento parado por um longo período a encher o tanque com gasolina nova e adicionar um estabilizador de combustível que vai ajudar a prevenir a deterioração do combustível.

6 – Se possível, deixe o jet ski secando ao ar livre por várias horas com o assento ou painel de acesso removido, permitindo que qualquer excesos de água evapore.

Quando a moto aquática estiver pronta para ser guardada, use uma capa protetora.

Publicado em Sea-Doo jet Com a tag , , |

7 motivos para comprar um jet ski

Fonte: Bombarco

Sea-Doo Spark. Crédito: Divulgação

Sea-Doo Spark. Crédito: Divulgação

Você é uma pessoa aventureira, gosta de velocidade, de estar em contato com a água e tem dinheiro para investir nos momentos de lazer, mas ainda não comprou seu primeiro jet ski? Então, está perdendo uma emocionante experiência.

Listamos sete motivos que vão te convencer de que um jet ski é o que falta na sua vida de aventuras.

Interação

Dificilmente você navegará sozinho em seu jet ski. Além de poder levar alguém na garupa, você certamente vai encontrar outros motonautas em seus passeios. E, como “mentes brilhantes são semelhantes”, seus amigos também devem curtir velocidade e água.

Quem procura companhia pode contar com os passeios organizados pelas associações de jet ski, revendas e fabricantes. Conheça lugares incríveis em todo o Brasil, das praias paradisíacas e braços de mar no litoral aos rios, represas, lagos no interior.

Esporte

Organizações como a Associação Brasileira de Jet Ski (BJSA) e a Associação Riograndense de Jet Ski (ARJS) organizam competições durante todo o ano e em diferentes lugares do país, como o Campeonato Brasileiro de Jei Ski e o Jet Waves.

É seguro

Com o Verão chegam também as notícias de acidentes envolvendo motos aquáticas, mas os profissionais do mercado lembram que, com o treinamento apropriado (Curso de Motonauta) e seguindo as regras estabelecidas pela Marinha do Brasil, pilotar um jet ski é muito seguro.

Antonio Augusto Cademartori Ilha, presidente da ARJS, conta que a associação oferece o curso de Motonauta e sempre aborda o tema de segurança em seus eventos esportivos e de lazer.

Além disso, o equipamento é tão confiável que muitas entidades públicas como o Corpo de Bombeiros e a Forças Armadas usam motos aquáticas como veículos de resgate.

Fácil transporte

Jet skis são mais leves e fáceis de transportar do que barcos, mesmo os menores. Prendendo a carreta de transporte do jet ao seu carro, você pode levar seu equipamento aonde quiser. Uma carreta custa R$ 3.500.00 na Jetco.

Fácil manutenção

A embarcação tem também uma manutenção fácil. Além do que é indicado no manual do proprietário e deve ser seguido à risca, especialmente quando se trata de motor, você mesmo pode fazer a limpeza após o uso.

Facilita o acesso

Com um jet ski você pode acessar lugares com baixo calado tendo, assim, a oportunidade de chegar a lugares onde um barco não conseguiria te levar.

Luiz Marcelo Teixeira, o Pardal, presidente da BJSA, comenta que as motos aquáticas podem até se usadas como embarcações de apoio por quem tem lanchas grandes.

Acessível

Jet skis são mais baratos que lanchas e veleiros, com modelos que custam a partir de R$ 28.971, caso do Sea-Doo Spark. O modelo foi lançado em 2014 e revolucionou o mercado de motos aquáticas por ser mais barato, leve e fácil de pilotar.

Leia a matéria completa no site da Bombarco.

================================================================================

Conheça toda a linha Sea-Doo > http://www.sea-doo.com.br/

Publicado em BRP Sea-Doo, Sea-Doo jet Com a tag , , , , , |

Casarini e os produtos BRP fazem sucesso em Campos do Jordão (SP)

Espaço Casarini BRP atrai atenções no badalado destino de inverno com os veículos Can-Am, as motos aquáticas Sea-Doo e os motores Evinrude.
Fonte: Mundo Press

Crédito: Casarini

Crédito: Casarini BRP

O inverno já começou e a movimentação está grande na cidade serrana de Campos do Jordão (SP), um dos principais destinos turísticos do país na estação mais fria do ano. O Espaço Casarini BRP atrai as atenções no bairro do Capivari, principal point dos visitantes, com os produtos assinados pelo grupo canadense.

Durante a alta estação de inverno, Campos do Jordão recebe entre 200 e 250 mil pessoas por final de semana. O clima e as belezas da Serra da Mantiqueira, as opções culturais, como os concertos do Festival de Inverno, e a arquitetura germânica são alguns atrativos da cidade, que também é famosa pelo público seleto e as atividades ao ar livre.

A identificação com os produtos da BRP foi imediata, já que o grupo canadense é sinônimo de inovação e tecnologia na fabricação dos quadriciclos, UTVs e roadsters da Can-Am, as motos aquáticas da Sea-Doo e os motores de popa da Evinrude. Esta é a quinta temporada consecutiva que os produtos marcam presença e fazem sucesso em Campos do Jordão.

“O público de Campos já espera as novidades da BRP. Os produtos têm muita identidade com os visitantes, pois representam o que há de melhor e mais inovador no mercado”, comentou Deninho Casarini, proprietário da Casarini, concessionária do grupo canadense na capital paulista e no Guarujá (SP). O Espaço Casarini BRP funciona de quinta-feira a domingo, das 10h às 19h, até o dia 19 de julho.

Espaço Casarini BRP – Campos do Jordão 2015
Endereço:
Avenida Emílio Ribas, 1074 – Bairro Capivari
Funcionamento: Até o dia 19 de julho, de quinta-feira a domingo, das 10h às 19h
Mais informações: Casarini, no telefone 11 3392-3000 (ou acesse o site)

Publicado em BRP Sea-Doo, Sea-Doo jet Com a tag , |

Segurança no Jet Ski: Código de Conduta em Motos Aquáticas

Fonte: Bombarco

GTX Limited iS 260.  Crédito: Divulgação

GTX Limited iS 260. Crédito: Divulgação

Respeito as normas locais e internacionais

•    Obedeço às normas locais e internacionais de navegação (RIEAM, OMI);
•    Minha moto aquática é registrado e, quando necessário, posso apresentar todos os documentos (habilitação, cartão de registro, documento do seguro etc.);
•    Observo e obedeço as restrições locais de idade para andar no meu jet ski;
•    Não entro em zonas proibidas;
•    Navego com velocidade reduzida nos portos e respeito rigorosamente os limites de velocidade;
•    Não conduzo a minha moto aquática à noite;
•    Não conduzo o meu jet ski depois de consumir álcool ou drogas.

Respeito o meio ambiente

•    Reabasteço sempre em terra e mantenho o motor da minha moto aquática limpo;
•    Não modifico o sistema de escapamento ou refrigeração do meu jet ski;
•    Limito o tempo gasto lavando o motor ao mínimo necessário;
•    Não jogo lixo na água nem nas praias;
•    Respeito a fauna e a flora, e adapto minha velocidade quando estou em áreas com uma alta população de vida selvagem.

Compartilho o mar

•    Respeito as outras embarcações e mantenho distância delas, especialmente quando estão ancorados;
•    Presto atenção à forma como conduzo e estou sempre atento à direção do vento, a fim de evitar qualquer poluição sonora;
•    Não navego muito perto da costa ou onde haja outras pessoas nadando ou brincando.

Conduzo de forma responsável

•    Verifico as condições meteorológicas antes de ir navegar;
•    Sou cuidadoso com os ventos que sopram da praia e com as correntes de maré;
•    Navego com outras embarcações porque estamos mais seguros em grupo;
•    Certifico-me de ter bastante combustível e vida útil da bateria antes de pilotar;
•    Verifico que os controles funcionam corretamente;
•    Não abandono meu jet ski se ele quebrar.

Respeito as instalações disponíveis nos portos

•    Não danifico as rampas de lançamento ou os seus arredores;
•    Só deixo meu reboque na área de estacionamento designada;
•    Respeito os outros usuários da rampa e espero minha vez de lançar minha moto aquática.

Piloto com todos os equipamentos de segurança

•    Todos a bordo usam colete salva-vidas e wetsuits (calças);
•    Carrego um dispositivo de reboque (ponto de ancoragem e cabo de reboque);
•    A chave de segurança do motor deverá ser presa, firmemente, ao pulso do piloto ou ao colete salva-vidas, a qual desliga o motor caso o piloto caia no mar;
•    Trago um telefone portátil em uma caixa à prova d’água ou um rádio VHF portátil;
•    Sigo as recomendações de utilização do fabricante (luvas, óculos, sapatos etc.).

================================================================================

Conheça o  NAVEGUE SEADOO, um site completo da Sea-Doo sobre uso responsável de motos aquáticas, com recomendações de segurança, instruções para tirar habilitação e dicas de escolas e cursos de motonauta. Acesse > http://goo.gl/SfC6dP

Publicado em BRP Sea-Doo, Sea-Doo jet Com a tag , , , , |

Cuide do seu jet ski por dentro e por fora

A manutenção do motor e outras peças internas jet ski é essencial para o bom funcionamento do equipamento. Mas as motos aquáticas também precisam de cuidados na parte externa para continuarem com a mesma aparência de quando saíram da loja – fator que pesa bastante na revenda.
Fonte: Bombarco

GTI SE 130. Crédito: Divulgação

GTI SE 130. Crédito: Divulgação

Ações descuidadas e mau uso do equipamento podem causar danos ao casco do jet ski. O atrito com bancos de areia ou pedras no raso, deixar a moto aquática para na areia da praia, ou uma colisão durante uma manobra ou no desembarque podem riscar o casco ou, em casos mais extremos danificar peças internas.

No entanto, esses danos podem ser evitados com cautela e precaução durante o uso do jet ski. Confira nossas dicas!

90 centímetros

Enquanto estiver navegando, fique atento ao limite de 90 centímetros entre a linha d’água e o fundo, dessa forma poderá evitar um choque contra uma bancada de areia, por exemplo.

Inspeção

Alexandre Gregório de Moraes, representante de pós-vendas dos jet skis Sea-Doo, alerta o condutor a fazer uma inspeção visual antes e após o passeio, com isso será possível identificar danos iniciais que podem se agravar, como trincas ou água acumulada no caso, após o uso.

2 segundos

Moraes apresenta a regra dos dois segundos: “Durante a navegação, tente projetar, de acordo com a sua velocidade, onde estará em dois segundos e mantenha a concentração nesse ponto. Esse tempo funciona para que possamos tomar decisões e realizar manobras emergenciais com eficiência.”

Carreta

Marcelo Franco, da assistência técnica náutica Yamaha Motors, recomenda que a retirada do jet ski da água seja feito somente com uso de carreta. Para isso é necessário uma distância de 60 centímetros entre a linha d’água e o fundo.

Higienização e polimento

Para evitar pequenos arranhões no casco da embarcação, o concessionário autorizado Kawasaki, Sergio Luisi orienta ao proprietário fazer higienizações e polimentos na superfície.

Reparos

Se a sua moto aquática já sofreu algum dano no casco ou vir a sofrer, não precisa se desesperar, Marcelo Franco explica que “quando o dano não afeta a parte estrutural do jet ski é possível fazer a reparação da fibra”. Para isso, o recomendado pelos especialistas é procurar uma rede autorizada da marca do seu jet ski.

“Se o casco for de fibra de vidro, existe grande chance de realizar o serviço. Hoje, tem produtos, de algumas marcas, que usam material de composto plástico mais fibra, e outros, 100% plástico, nesses dois casos não existe chance de reparo”, esclarece Sergio Luisi. Por isso, na hora se você ainda não tem um jet ski, fique atento na hora de escolher o seu.

Os valores dos serviços prestados pelas autorizadas pode variar de acordo com o modelo, a marca e o tipo de dano.

Alexandre Gregório alerta sobre a importância de procurar apenas revendas autorizadas para realizar os reparos necessários. “É onde você receberá orientações sobre os procedimentos necessários para uma reparação bem feita e sem dores de cabeça futuras,” afirma o representante da Sea-Doo.

Publicado em BRP Sea-Doo, Sea-Doo jet Com a tag , , , |

Tradição no Pará, Jet Passeio dos Namorados reúne motos aquáticas

Evento beneficente realiza 13ª edição neste sábado; Roteiro vai da Marina Espaço Náutico, em Belém, até a Praia do Caripi, em Barcarena.
Fonte: Mundo Press

Crédito: Divulgação/Direct Jet Náutica

Crédito: Divulgação/Direct Jet Náutica

O tradicional Jet Passeio dos Namorados é um dos eventos náuticos mais aguardados pelo público no Pará. A 13ª edição reúne motos aquáticas e grande estrutura de apoio neste sábado, 20 de junho. A partida será às 10 horas da Marina Espaço Náutico, em Belém, com destino a Praia do Caripi, em Barcarena. O roteiro explora as belezas do Rio Pará e suas ilhas, praias e canais, conhecidos na região amazônica como furos.

Além da diversão, o evento não deixa de lado a solidariedade, já que o dinheiro das inscrições será revertido a obras assistenciais. “O Jet Passeio dos Namorados é muito tradicional, reunimos 197 motos aquáticas no ano passado e as expectativas são ótimas”, comentou Leonel Pinho, presidente da Associação Paraense de Motonáutica e diretor da Direct Jet Náutica, concessionária dos produtos BRP na região. O grupo canadense é responsável pelas consagradas motos aquáticas da Sea-Doo.

O passeio terá cerca de uma hora de duração, sendo que o retorno dos participantes é livre. “Teremos estrutura de ponta e muita segurança. Após um café da manhã, seguiremos para o passeio em grupo, acompanhados por barcos de apoio e com a presença das principais autoridades da Marinha do Estado. Os Bombeiros e a Defesa Civil também estão envolvidos no evento. Em Caripi, haverá um almoço de confraternização e muitas atrações, como sorteio de brindes, apresentação de fly board, gincanas e concurso que premia várias categorias, como o casal mais apaixonado”, concluiu Pinho.

13º Jet Passeio dos Namorados para motos aquáticas
Data:
Sábado, 20 de junho de 2015
Partida: Às 10h, da Marina Espaço Náutico, em Belém
Destino: Praia do Caripi, em Barcarena
Inscrição: R$ 40 (inclui kit com camiseta, boné e sacola, café da manhã e almoço); O dinheiro arrecadado será doado a obras assistenciais
Informações: Direct Jet – 91 3249-2916 (acesse o site da concessionária BRP)

Publicado em BRP Sea-Doo, Sea-Doo jet Com a tag , , , |

Cuide bem do seu jet ski

Fonte: Bombarco

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

Acabou de adquirir o tão sonhado jet ski? Saiba que para mantê-lo sempre em pleno funcionamento é preciso adquirir alguns hábitos. Com esses cuidados especiais, o seu equipamento estará sempre preparado para ser utilizado a qualquer momento. Isso vale até mesmo para os jets skis que não são usados com tanta frequência – somente no verão, por exemplo.

Um pequeno cuidado, como a manutenção básica, que deve ser feita periodicamente, conforme o manual de instruções, por exemplo, prolonga a vida útil do equipamento e evitam transtornos nos momentos de lazer.  “A manutenção é para que o equipamento mantenha-se sempre em ordem para ser utilizado com segurança”, explica Luiz Antonio Pereira dos Santos, o Luizão Parede, da Quadrijet, de São Paulo.

No caso da manutenção dos motores dois tempos, é feita a limpeza da carburação, velas, lubrificação de cabos e reapertos em geral.

Já no caso dos motores quatro tempos, é feita a troca de óleo e filtro, verificação de velas e filtro de ar, e, se necessário ainda, a limpeza dos bicos. Na troca de óleo é recomendável sempre a utilização de produtos de boa qualidade e na especificação correta.

Segundo Luizão, os modelos mais econômicos – e mais vendidos hoje – é o Yamaha VX 110 e o Sea Doo GTI 130. Além do grande número de concessionárias espalhadas pelo país, ambos possuem motores quatro tempos, com autonomia média de cinco horas e meia, o que garantem uma boa economia de combustível. A duração média desse tipo de motor é de mais de duas mil horas.

Combustível

Além de provocar falhas no motor, um combustível de má qualidade pode também levar a quebra do mesmo. O proprietário de jet ski também deve ficar atento a qualidade do combustível, que muitas vezes pode sair das bombas num coquetel “mortal”: álcool, solventes, água e outras substância.

O cuidado deve ser redobrado com os equipamentos com carburadores. Estes entopem com mais facilidade por não terem a pressão provocada pelo sistema de injeção eletrônica. Com o entupimento do carburador, o motor não é alimentado corretamente e pode sofrer danos por superaquecimento e travar ou então não funcionar.

Já os jets com injeção eletrônica e seus derivados são menos sensíveis aos combustíveis de qualidade duvidosa. Além do sistema se autoajudar, os componentes desse tipo são de inox, menos sensíveis aos ataques do álcool e outras substâncias químicas.

Se o combustível do jet ski estiver parada no tanque por mais de dois meses, o ideal é trocá-lo por um novo. Se o equipamento falhar, não insista, pois pode transformar uma simples limpeza de carburador numa quebra de motor, mais cara e complicada.

Caso utilize o equipamento no mar, é preciso “adoçar” o motor, ou seja, fazer circular água doce dentro do motor. A água salgada tem efeito corrosivo e pode comprometer o equipamento. O procedimento é simples, com o motor ligado, coloque uma mangueira na entrada de água e deixe ligada por cinco minutos. Em seguida, primeiro desligue a mangueira e, em seguida, o motor. Além disso, é recomendável também a lubrificação dos pistões com óleo – basta retirar as velas e adicionar o lubrificante.

Transporte

Outro cuidado importante, que muitas vezes passa despercebido, é o transporte do jet ski. “Utilize sempre uma carreta adequada para o peso do equipamento, além de amarrá-lo bem com cintas. A colocação de uma capa evita danos à pintura”, recomenda Luizão Parede.

Para amarrar, utilize sempre cintas do tipo catracas, que garantem uma melhor segurança. O uso de uma corrente para ligar o carro ao reboque também é indispensável e evita acidentes.

O posicionamento da carga na carreta e a pressão dos pneus – que depende do peso do equipamento – também são itens importantes para serem verificados. Nesse momento verifique também se o banco está bem preso. Não é raro do banco se perder no transporte e só ser percebido no destino. Vale a pena, então, passar uma amarra por cima do banco e prendê-lo na carreta.

Apesar do uso de reboques não exigir uma habilitação especial, o motorista precisa ter cautela na hora de dirigir e também ficar atento à documentação e aos equipamentos de segurança exigidos. Pneus em bom estado, funcionamento correto da parte elétrica, com emplacamento e devidamente licenciada evitam transtornos no meio do caminho.

Publicado em BRP Sea-Doo, Sea-Doo jet Com a tag , , |